sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

PG - ALGUÉM QUE SONHA




Olhemos para nosso século. Grande parte das profecias finais se cumprindo, e a igreja do SENHOR Jesus esta bem no meio de uma diversidade de abominações e condutas horrenda, praticadas por seres humanos carregados de pecados e de influências satânicas. Diante dessa realidade à nossa volta, aguardamos a volta do nosso Salvador.

A grande questão é como aguardamos a Sua volta. Que as profecias se cumprirão, sabemos e conhecemos. Todavia podemos questionar se a conduta da igreja deve ser de passividade, diante de uma realidade tão condenada pelas Escrituras. Devo ver e me calar? Devo ver e passar de largo? Devo, como igreja representativa do SENHOR Jesus nesse mundo, ignorar tanto abuso humano que contradiz todos os preceitos de conduta humana mandado por Yhaweh?

Você como Igreja do SENHOR Jesus está sendo desafiado, no presente século, a fazer tudo o que Jesus faria em Seu ministério terreno. Ele subiu aos céus, mas instituiu Sua igreja, e través do derramamento do Espírito Santo, você teve acesso à salvação, e uma vez igreja militante, você não pode se calar, você não pode ficar inerte, você precisa fazer algo para melhorar o mundo que Deus criou.

“Eu também sou vítima de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas apesar disso eu ainda tenho um sonho, porque a gente não pode desistir da vida”(Rev Martin Luther King Jr); esse grande exemplo de igreja militante não se preocupou com os problemas sociais de outros países, com missões estrangeiras, mas ocupou sua vida, como ser humano e como igreja, em combater as desigualdades sociais em seu país, e as injustiças sociais tão desumanas em seu tempo. Ele pregava nas ruas, nos templos, em salões e em todos os lugares onde pudesse falar e lutar pela igualdade entre negros e brancos. Isso lhe custou caro, objetivamente, um tiro no rosto. O Rev Martin Luther morreu por um ideal, por um alvo, por um sonho. Ele morreu, mas seus ideais, alvos e sonhos não desceram à sepultura com seu corpo. Para ele, viver significava sonhar, e deixar de sonhar era o mesmo que morrer. Hoje os sonhos do Rev Martin Luther são realidades na vida de muitos negros americanos. Talvez se outros pastores batistas, presbiterianos, assembleianos e pastores de todas as denominações evangélicas americanas tivessem aprendido a sonhar e a agir com o Rev Martin Luther, a desigualdade social e racial já estaria totalmente abolida do contexto urbano americano.

O Brasil é um país de uma riqueza quase incalculável. Todavia o que mais vemos é uma desigualdade social que bane da vida muitos seres humanos em nosso contexto urbano. O maior exportador de soja do mundo não consegue manter dignamente a vida de seus compatriotas, de seus filhos. Enviamos carne bovina, suína e aves para quase todo o mundo, mas vemos pessoas nos sertões da vida comendo ratos e calangos, em uma terra com grande poder de produção. Nossa ciência, tão evoluída produz descobertas dignas de capa da “Science”, todavia vemos hospitais em estados precários e atendimentos médicos, como o do SUS, como se fossem veterinários, tratando de bichos com cara de gente. Tudo isso tem uma resposta: corrupção. Poderíamos mudar essa realidade! podemos mudar essa realidade! basta sonharmos em ser uma igreja atuante em nosso contexto urbano, lutando com a grande força de que dispomos, para combater a corrupção, as desigualdades sociais grandiosas, a política subversiva para o mal, para os interesses próprios dos políticos que se enriquecem ás custas da pobreza de mais de cem milhões de pobres e miseráveis brasileiros.

Eu ainda tenho um sonho. Eu sonho com uma igreja que seja atuante no seu contexto social. Uma igreja que provoque uma revolução social em nosso país nesse século. Uma igreja que provoque uma mudança radical na política, no comércio, na agricultura e sobre tudo, na vida dos brasileiros. Tenho certeza que se nosso Jesus viesse ao mundo, ao Brasil hoje em dia para exercer Seu ministério, essa seria uma das grandes ênfases na Sua atuação ministerial. Como pastor de uma igreja evangélica estou movendo minha igreja para essa atuação ministerial. Talvez eu não consiga mudar o Brasil, ou até mesmo minha própria igreja local. Mas, enquanto eu sonhar com essa igreja ideal, terei forças para continuar a lutar por esse ideal. Sei que meu sonho é muito grande, mas maior é meu medo de ser, em meu século, apenas mais um escriba e fariseu, com muito conhecimento teológico, tanto quanto inerte.

Rev. Pevidor

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

PG - A INVOLUÇÃO HUMANA



Estamos vivendo tempos muito difíceis. Os séculos passaram, a evolução da ciência, da tecnologia, do conhecimento e da riqueza se tornaram grandiosos em todo mundo. A igreja alcançou os confins da terra, norte a sul, leste a oeste do velho planeta. Tudo isso seria maravilhoso e digno de comemoração, se não fosse a terrível realidade vivencial da grande maioria da população humana na terra.

O desenvolvimento dos setores essenciais para o enriquecimento das nações alcançou níveis inimagináveis. Mas, tudo isso seria perfeito, se não fosse o terceiro mundo, o terceiro setor... O desenvolvimento mundial aconteceu extraordinariamente, mas somente para alguns. Que pena! Mas porque somente para alguns? Porque há países tão ricos e outros tão pobres? Porque há pessoas tão ricas e outras tão pobres? Porque há favorecimento a uns e a outros não? Tem mesmo que ser assim?

Uma pergunta fica no ar, e não há quem me responda: “porque o mundo desenvolveu tanto, mas, mesmo diante de tanto avanço, ainda vemos um comportamento troglodítico nos seres humanos”? Se tornaram evoluídos, mas não abandonaram o barbaresco. A evolução da ciência e da medicina serve para curar os ricos, mas não tem o mesmo poder medicinal sobre os pobres; a tecnologia é eficiente para desenvolver países ricos, mas é também eficiente para manter os do terceiro mundo mais pobres ainda; o desenvolvimento faz países gastarem bilhões para desenvolvimento de armas de guerra, mas não consegue desenvolver cura para a pobreza que os rodeia; o desenvolvimento serve para que uns batam no peito dizendo: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano”, enquanto outros dizem: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador! (Lucas 18-11-13)”
Todo o desenvolvimento mundial aconteceu e foi idealizado, buscado e batalhado para que houvesse uma mudança e uma transformação na realidade humana. Os maiores inventores tinham na sua mente um progresso humano, não individual. Mas, quanto mais o tempo passa, quanto mais acompanhamos a evolução, mais vemos guetos, terceiro setor, terceiro mundo e todos os adjetivos para a pobreza.

Nesse contexto podemos encontrar indivíduos que compram carros importados. E para cada carro importado comprado por alguém, centenas de pessoas precisam andar a pé. A cada filé mignon servido na mesa de um opulento, muitos necessariamente precisam comer ‘palmas’. Dura verdade, mas o único sentimento que sobra nos venturosos é o da comiseração, dos discursos e dos projetos. Uma pena que tudo isso não mate a fome.

Temos um grande poder nas mãos. Como Igreja Cristã Protestante ou Católica, como políticos, empresários, universitários e acima de tudo, como cidadãos urbanos, temos o poder de mudar a realidade histórica de uma vida, de uma sociedade, de um país. Mas o que temos feito? Onde estão nossas mãos? Será que só podemos fazer o bem para o desenvolvimento humano de um desconhecido quando pudermos receber algo em troca? Será que jamais conseguiremos exercer o princípio de Jesus: “ignore a tua mão esquerda o que faz a tua mão direita?” (Mateus 6.3) Creio que não. Temos um grande poder nas mãos. Temos o poder de mudar o curso da história das pessoas. Temos o poder de tirar um choro e colocar um sorriso; de arrancarmos a incredulidade e renascer em seu lugar a esperança, de um potencial criminoso em um líder universitário; temos o poder de destruirmos os guetos e criarmos dignidade, de acabarmos com a desigualdade social e sermos todos, igualmente um.

Eu faço o que meus braços alcançam, e sonho todos os dias com uma humanidade evoluída. “Eu também sou vítima de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas, apesar disso, eu ainda tenho um sonho, porque a gente não pode desistir da vida” (Rev. Martin Luther King Jr).

Rev. Pevidor

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

A IGREJA EM AÇÃO


Estamos caminhando para o fim da carreia humana nessa velha terra. Todas as profecias finais estão se cumprindo, e muito em breve a humanidade será sucumbida pelo último dia, pelo cumprimento das profecias finais e pela volta do Messias Salvador.
Essa manifestação final é aguardada pelos santos fieis espalhados pela terra a fora. Também aguarda essa redenção toda da criação do Todo Poderoso; entre ela a natureza, o cosmos e os pobres. Pensando nisso perguntamos: precisamos esperar a volta de Jesus para que a população menos favorecida sinta a salvação e tenha uma qualidade de vida melhor? O que podemos fazer ainda hoje, na apresente dispensação? O que você pode fazer? O que sua igreja como entidade do Reino de Deus nesse mundo pode fazer?
A igreja brasileira sempre se preocupou pouco com a salvação dos menos favorecidos. Não na questão da salvação eterna, no livramento de seus pecados; mas sim na salvação presente, da sua fome, da sua qualidade de vida, dos seus estudos, da sua profissionalização. Nos países mais antigos, já se criaram entidades de apoio ao desenvolvimento humano pelo planeta a fora. Os principais países protestantes já gastam fortunas, atravez de suas igrejas, com projetos que promovam o desenvolvimento humano àqueles que não possuem.
Como brasileiro, e como igreja brasileira tenho autoridade de falar que os valores do Reino, para aplicação no desenvolvimento humano dos menos favorecidos, ficaram de lado a muito tempo. Posso até dizer que desde que tenho razão, nunca vi a igreja com uma preocupação eficaz no desenvolvimento humano da grande maioria das pessoas desse país tão rico, mas com uma população pobre e sem recursos. Nunca presenciei uma luta da igreja para punição de governantes corruptos, de leis de favorecimento, de injustiças sociais, de distribuição de renda desigual... Nunca vi a igreja cristã como um exército. Todavia, sempre a vi como soldados, isolados uns dos outros, combatendo uns aos outros e nada fazendo para combater um exército de milhares de corruptos e desonestos nesta pátria tão amada. Essa igreja que conheço nunca fez a diferença, nunca foi realmente igreja fora dos seus próprios portões.
O Senhor Jesus fundou uma representante do Seu Reino no mundo que poderíamos chamar de Igreja em Ação. Ele pregava o Evangelho da salvação eterna, mas imediatamente agia em favor dos menos favorecidos: curava enfermos (Mt 4.23-24, 8.16, 9.35, 12.15,22, 14.14, 15.30, 19.2, 21.14, Mc 1.34, 3.10, Lc 4.40, 6.19, 7.21, 9.42, 13.14, 14.4, 22.51, Jo 5.11); Ele ensinou como cumprir as leis: Mt 5.27-48; Ele ensinou a compadecer-se (Mt 6.2-4); Ele fazia o bem (Mt 9.35-38); salvava os humildes (Mt 11.25-30); Ele alimentava pessoas sem condições Mt 14.13-21, 15.32-39; Ele ensinou como pagar os impostos corretamente (Mt 17.24-27); Como agir com os credores (Mt 18.23-35); Ele ensinou como fazer uma justiça igual (Jo 8.1-11).
Diante desse ministério e exemplo do fundador do Cristianismo eu pergunto: que tipo de igreja temos sido em nosso século? Nossa conduta como igreja de Cristo tem seguido Seu exemplo prático? Nosso ministério tem sido um ministério aprovado pela conduta ministerial de Jesus? Temos sido uma igreja em ação? O que tenho percebido a anos é que a igreja cristã contemporânea é expert em decifrar e falar as palavras de Jesus, mas em seguir Seu ministério prático, digo que até poderíamos ser igreja cristã, mas certamente não seríamos Igreja de Cristo. Temos honrado a Cristo e a Seu ministério com nossas palavras, menos com nosso ministério prático; temos sido igreja cristão de palavras, e palavras são vazias, não sustentam, não mudam a realidade. A igreja em ação fala e faz, prega e luta, é igreja que age a exemplo do ministério acionário do maior sociólogo de Deus em favor da humanidade menos favorecida.
Tire sua vida e sua igreja da inércia, e comece a fazer algo. Aja, coloque na prática, o que na teoria você já sabe muito bem: faça da sua igreja, onde você vive, UMA IGREJA EM AÇÃO.

Rev Pevidor

domingo, 2 de novembro de 2008

PG - A IGREJA E A CIDADE


“E percorria Jesus todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades.” (Mt 9:35).

Desde que me entendo por gente vejo problemas sérios nas cidades brasileiras. Há muito tempo atrás pensei que os problemas do menor carente acabariam. Inventaram o ‘criança esperança’. Pensei: que bom! não veremos mais crianças esmolando nos semáforos, nas ruas, cheirando cola nas esquinas e se tornando bandidos em potencial. Todavia, a minha decepção foi maior do que a minha alegria, ao constatar que, após vários anos de campanha, milhões e milhões de reais arrecadados, elas continuam nas ruas, nos semáforos, na cola, na bandidagem, nos guetos da cidade.

A igreja está inserida dentro da cidade. Usa a luz da cidade, a água, esgoto, telefone, ruas, prefeitura, comércio e toda a estrutura que uma cidade ‘urbana’ pode oferecer para seus habitantes. Mas esse desfrute não fica somente nas coisas boas; o preço desse usufruir da cidade é caro, pois também a igreja está no meio da fome, às voltas das favelas, das filas intermináveis nos hospitais, da prostituição infantil, do comércio de drogas, da segregação racial e dos guetos impostos pela ’alta’ sociedade. Mas, a pergunta é: a cidade é inimiga da igreja? Muitos pensam que sim; eles dizem: “o mundo está perdido”. Ainda pergunto: a cidade é inimiga da igreja, ou a igreja deve se aliar, ser cobeligerante da cidade para a promoção social e por uma cidade melhor e mais justa? O escritor Clóvis Pinto de Castro escreve dizendo que “ há muitas pessoas que se dizem cristãs, mas que fazem uma distinção entre o sagrado (igreja) e o profano (cidade) colocam-nas como duas realidades distintas e irreconciliáveis. É uma visão dualista da realidade. Dividem-na em parte espiritual e em parte material”.

A igreja está na cidade com uma finalidade específica, pois ela recebeu poder, ao descer sobre ela o Espírito Santo, para ser testemunha de dos atos e palavras de Jesus, tanto no bairro da igreja, como em toda a cidade e município, e até aos confins da terra. Dessa forma percebemos que a cidade não é inimiga da igreja. A igreja não consegue viver sem a cidade. Ambas fazem parte do mesmo contexto, das mesmas bem aventuranças, dos mesmos problemas.

A cidade precisa da igreja em todo o seu contexto. Ela espera ser influenciada pela santidade da igreja. A cidade espera uma atitude da igreja, ou até mesmo uma resposta da igreja nela inserida, por um mundo melhor, mais justo e habitável. Todavia, pelo fato da igreja se achar mais santa que a cidade, por se ver salva, incontaminada, e num patamar superior, ela muitas vezes olha de cima para os problemas da sua cidade, e não consegue se misturar para tempera-la ou ilumina-la. Em Mt 5.13-14 encontramos Jesus dizendo que a igreja é o sal e a luz da cidade. Mas, o sal não tempera se não for misturado à comida; a luz não ilumina se estiver escondida ou desligada. Assim, como a igreja poderá transformar o mundo se se fecha dentro de quatro paredes, e não se envolve com a cidade e seus problemas?

A cidade necessita da igreja tão quanto a igreja precisa da cidade. A cidade espera a salvação que vem ‘da igreja’, mas não o seu julgamento. Tantos necessitados, excluídos, discriminados, injustiçados, pobres e mal amados olham para a igreja, como o coxo (At 3.1-11) da porta formosa olhou para Pedro e João, esperando receber dela alguma coisa de bem. Pedro e João disseram: “olha para nós”. A igreja somente poderá dizer à sua cidade: “olha para nós”, quando ela estiver envolvida, unindo suas forças com a sua cidade, no sentido de transformar sua cidade num núcleo de vida, amor, compaixão e cumplicidade. Quando isso acontecer, as pessoas da cidade se encherão de admiração e assombro pelo que a igreja tem a oferecer. Quando a igreja deixar de investir em Sinagogas, para investir em vidas, aí sim ela, a igreja, terá autoridade de Deus para dizer: “Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda!” (At 3.6).
Rev Alexandre Pevidor

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

PG - A ECOLOGIA URBANA E A SOLIDARIEDADE




“Porque Deus amou ‘a cidade’ de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que em todos os setores dela creiam, e para que seus habitantes não pereçam, mas tenham assistência humana e espiritual, tendo vida na cidade, e vida eterna.” (Jo 3.16)

Quando vivemos numa cidade temos vários privilégios que podemos desfrutar dela; mas ao mesmo tempo em que desfrutamos de tudo o que uma cidade pode nos oferecer, temos também obrigações e responsabilidades de seres sociais em contextos urbanos. Nessa ótica vivencial vemos o relacionamento humano no cuidado ecológico homem-humano-natureza, tendo como background a solidariedade.

Todo o eco sistema foi criado de uma mesma fonte. Ao homem, todavia, foi dada a responsabilidade de cultivar e guardar todo o ambiente natural criado por Deus, para o desenvolvimento e sobrevivência de toda a criação. Entretanto, o que vemos no século XXI é o ser ‘racional’ agindo irracionalmente, pois todo o gênero de animais, ditos irracionais, contribui para o bom andamento de um equilíbrio do eco sistema. Matam para comer, migram, e geram suas crias em tempo determinado. Ao ser animal humano fica reservado a pior parte. O homem é o único ser animal ‘racional’ que mata por vingança, por maldade, único que derruba as matas para vender suas madeiras, mata os animais por esporte, atropela-os nas suas estradas, rouba-lhes os filhotes, e tem prazer em tudo o que se chama “predatório”.

A igreja cristã tem sua parcela de responsabilidade nessa realidade caótica em que vive nosso sistema ecológico. Em muitas vezes ela contribui com seus lixos, suas reformas e com uma visão cimentada para a degradação da bela natureza que nos fornece vida.

Muitas perguntas surgem quando falamos sobre ecologia, no sentido de o que poderíamos fazer para melhorar nosso meio ambiente. A igreja pode e deve participar nessa melhoria em vários aspectos. É claro que essa responsabilidade não se restringe apenas à igreja cristã, mas sim, a todos os seres viventes que vêm ao mundo, vive nele e depende dele até mesmo para morrer.

Há muito que fazer pelo eco sistema. Todavia minha principal preocupação é a falta de cuidado do ser humano para com a coroa da criação de Deus: o homem e a mulher. É certo que as nossas matas estão definhando nas mãos humanas, os animais estão clamando por socorro, e o planeta terra está se apagando no cosmo. Mas na verdade o homem está se matando aos poucos. Destruindo sua única fonte de oxigênio, apagando a camada de ozônio, transformando toda uma cadeia de acontecimentos naturais e benéficos, em tragédias, tornados, terremotos, maremotos, frio demasiado, calor excessivo, transformando um mundo de vida em um mundo de morte.

Pois bem! O que podemos fazer por uma ecologia urbana fundamentada na solidariedade? Em primeiro lugar precisamos ter em mente que “pensar em ecologia urbana orientada pela solidariedade é, principalmente, pensar nas múltiplas relações que acontecem no contexto das cidades” (C.P.Castro). O homem vive em sociedade, e seu envolvimento nela deve delinear suas atividades relacionais solidárias a tudo e todos aqueles que estão à sua volta. Não há como viver socialmente, e ao mesmo tempo ignorar as necessidades, lutas, dificuldades e problemas que vivem os outros seres humanos dentro da mesma razão social. Para desenvolvermos uma ecologia urbana fundamentada na solidariedade “é preciso sentir o cheiro das pessoas, conhecê-las na sua realidade”(C.P.Castro), sentir como elas se sentem, encarnar-se na vida, nos problemas e nas alegrias dos que estão à nossa volta. É preciso amar as pessoas e a natureza, motivados Por uma ecologia fundamentada na solidariedade, segundo o coração de Deus
Rev. Alexandre Pevidor

terça-feira, 7 de outubro de 2008

PG - ELES PRECISAM SABER SOBRE A SALVAÇÃO, MAS QUEM FALARÁ?


Mensagem 02
Texto:

"1 Quando, pois, o Senhor veio a saber que os fariseus tinham ouvido dizer que ele, Jesus, fazia e batizava mais discípulos que João 2 (se bem que Jesus mesmo não batizava, e sim os seus discípulos), 3 deixou a Judéia, retirando-se outra vez para a Galiléia. 4 E era-lhe necessário atravessar a província de Samaria." (João 4.1-4)
Tema: Eles precisam saber sobre a Salvação - Mas quem Falara?
Afirmação Teológica: A missão de Deus se tornou a missão da Igreja após atos 2.
Frase de Transição: Para falar da salvação você precisa quebrar alguns paradigmas:

1) O PARADIGMA DO PRECONCEITO CULTURAL (mensagem 01)
a. Aceitar o outro como ele está (não como ele é)
b. Fazer algo para mudar a realidade do nosso Próximo,
c. Mostrar a verdade que liberta

2) O PARADIGMA DO PRECONCEITO SOCIAL
“Vós adorais o que não conheceis; nós adoramos o que conhecemos, porque a salvação vem dos judeus” (v2)
Precisamos quebrar o preconceito social para:

A) COMPARTILHAR A SALVAÇÃO
Porque: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. Como, porém, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados?” (Rm 10.13-15)
·O samaritano era proibido de entrar nos territórios judaicos, como ouviria da salvação?
·Quantos “samaritanos” não entram nas igrejas por causa do preconceito?
·Quando Jesus pede água Ele abre a porta do diálogo;
·Quando Jesus fala da salvação Ele sinaliza o “ide” não o “vinde”
·ekklhsia - ek: preposição primária denotando origem - kalew: chamar em alta voz, convidar.

B) COMPARTILHAR A MESA
Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber “ (v 7)
· Um alimento manuseado por um samaritano era considerado “contaminado”; (alimentos secos)
· Alimentar-se culturalmente significa aceitação; (fotos Pará)
· (castro) É preciso sentir o cheiro das pessoas...”
· Jesus pede água: colhida pela mulher, no vaso da mulher, e na caneca da mulher samaritana;
· Às vezes a igreja não quer pessoas “diferentes”... no seu meio;
· Quase sempre a igreja é um local exclusivo para pessoas exclusivas;
· Jesus quebrou essa barreira – não foi a mulher que se aproximou dele, mas Jesus se aproximou dela; “Como, sendo tu judeu, pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana” (v 9);
· “Neste ponto, chegaram os seus discípulos e se admiraram de que estivesse falando com uma mulher; todavia, nenhum lhe disse: Que perguntas? Ou: Por que falas com ela?” (v 27);
· Jesus não queria a água da samaritana, Ele queria “todos os samaritanos”.

C) COMPARTILHAR OS VALORES DO REINO
Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo?! Muitos samaritanos daquela cidade creram nele, em virtude do testemunho da mulher, que anunciara: Ele me disse tudo quanto tenho feito. Vindo, pois, os samaritanos ter com Jesus, pediam-lhe que permanecesse com eles; e ficou ali dois dias. Muitos outros creram nele, por causa da sua palavra” (4.28-29,40-41)
·EFEITO MULTIPLICADOR NA MISSÃO:
·Jesus prega para a mulher, ela prega aos samaritanos, os samaritanos vêm até Jesus, Jesus salva-os;
·Mas...essa não era a missão dos discípulos? Como Jesus envia uma samaritana?
·Jesus sempre saiu do “convencional” para compartilhar o Reino;
oMulher Adúltera (Jo 8.4); Zaqueu (Lc 9.2); Publicanos e pecadores (Mt 9.10). “Mas Jesus, ouvindo, disse: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes.” (Mt 9.12);
·A barreira social é quebrada no “IR” nem sempre no “VIR”. “Mas Jesus insistiu: Deixa aos mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai e prega o reino de Deus.” (Lc 9.60)

Aplicação
·O que te impede de querer a salvação dos samaritanos à sua volta?
·O que você pode fazer por eles?
·O que você quer fazer por eles a partir de hoje?
·Muitos estão buscando água próximo de você, mas podem estar voltando sem a salvação!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

PG - MISSÕES URBANAS


Texto:
"1 Quando, pois, o Senhor veio a saber que os fariseus tinham ouvido dizer que ele, Jesus, fazia e batizava mais discípulos que João 2 (se bem que Jesus mesmo não batizava, e sim os seus discípulos), 3 deixou a Judéia, retirando-se outra vez para a Galiléia. 4 E era-lhe necessário atravessar a província de Samaria. (João 4.1-4)


Introdução:
· Você tem um câncer, em estágio terminal, mas, o médico não te fala nada.
· Como você se sente? Enganado! Furtado! Menosprezado!

Tema: Eles precisam saber sobre a Salvação - Mas quem Falara?
Afirmação Teológica: A missão de Deus se tornou a missão da Igreja após atos 2.
Frase de Transição: Para falar da salvação você precisa quebrar alguns paradigmas:

1) O PARADIGMA DO PRECONCEITO CULTURAL
· Preconceito é uma postura ou idéia pré-concebida, uma atitude de alienação a tudo aquilo que foge dos “padrões” de uma sociedade (imagens)

a. Aceitar o outro como ele está (não como ele é)
· Por que era necessário Jesus atravessar Samaria?
· dei diercomai: uma necessidade provocada de caminhar...
· Israelitas e samaritanos não se davam por causa de diferenças de raça, religião e costumes;
· Ex.: Ronaldo Lidório e a igreja na África – templo quadrado e bancos em ordem;
· Jesus aceitou aquela mulher apesar: ser mulher, ser samaritana, ser promíscua, dos costumes.

b. Fazer algo para mudar sua realidade
· A história do bom samaritano (Lc 10.37): “O que usou de misericórdia para com ele”;
· O horário que a mulher busca água não é propício devido ao intenso calor de meio-dia (40º);
· Ex.: caverna do adulão (imagens); trabalham à noite, para a “tribo” da noite;
· Os samaritanos precisavam saber sobre a salvação, mas como saberiam se Jesus não ultrapassasse a barreira cultural?
· A igreja é quase sempre um local cultural (teologia, liturgia, usos e costumes);
o Teste: Teologia calvinista? Teologia arminiana? Cabelo comprido? Véu? Púlpito em forma de prancha de surf?

c. Mostrar a verdade que liberta
· Quantos e quem são os samaritanos que estão te esperando lá fora?
· 1ª verdade que liberta: posso fazer algo por você! “Nisto, veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dá-me de beber.” (v 7);
· 2ª verdade que liberta: minha água é melhor que a sua! “Replicou-lhe Jesus: Se conheceras o dom de Deus e quem é o que te pede: dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.” (v 10);
· 3ª verdade que liberta: você é pecador! “ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade.” (v 17-18);
· 4ª verdade que liberta: Jesus é a salvação! “Eu sou o Cristo, eu que falo contigo.” (v 26)

Conclusão:

· Quem são os samaritanos à sua volta?
· O que você pode fazer por eles?
· O que você quer fazer por eles a partir de hoje?
· Muitos deles estão sendo enganados por uma filosofia perversa e maligna;
· Mas, você tem a resposta, não furte deles o conhecimento da salvação.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

PG - DEUS AMA A UNIDADE


" O grupo de crentes estava unido em seus corações e espírito...De fato, eles compartilhavam todas as coisas." At 4:32 (NCV) "Vivam em harmonia uns com os outros." Romanos 12:16a (NVI)

É muito importante perceber que o Novo Testamento dá mais atenção sobre a unidade da igreja do que sobre o céu ou inferno. Deus deseja que experimentemos unidade e harmonia uns com os outros. Unidade é o coração da comunhão. Destrua isso e você acaba com o coração do corpo de Cristo. Sem unidade não há comunhão - e sem comunhão não há igreja. A Trindade é una e Deus quer que nós sejamos unificados também. Nosso Pai Eterno, como qualquer pai, aprecia saber que seus filhos se dão bem uns com os outros. Jesus, em seus últimos momentos antes de ser preso, orou fervorosamente pela nossa unidade. E o Espírito Santo é quem nos une em amor. Nada é mais valioso para Deus que a sua igreja. Ele pagou alto preço por ela e valorizou a proteção dela. Parte de sua responsabilidade como crente é proteger a unidade no lugar onde você tem comunhão. "Faça todo esforço para conservar a unidade do Espírito através da cadeia da paz". Você precisa pensar a respeito de si mesmo como agente da unidade, comissionado por Jesus para promover e preservar a comunhão dos crentes. Aqui vão algumas idéias de como podemos fazer isso.

1. Dê importância ao que temos em comum e não em nossas diferenças
Como crentes, a Bíblia diz que compartilhamos um só Senhor, um só corpo, um propósito, um Espírito, uma esperança, uma fé, um batismo e um amor. Compartilhamos a mesma salvação, a mesma vida e o mesmo futuro – fatores muito mais importantes que quaisquer diferenças que possamos enumerar. Precisamos nos concentrar nessas coisas. "Concentremo-nos nas coisas que produzem harmonia e cresçamos juntos na comunhão". Naturalmente Deus nos fez diferentes e podemos valorizar e apreciar essas diferenças e não meramente tolerá-las. Deus deseja unidade e não uniformidade. Mas, para termos uma unidade saudável, nunca devemos permitir que as diferenças nos dividam. Precisamos estar concentrados nos propósitos comuns de Deus para nós e sua igreja. Os conflitos são geralmente sinais de que o foco mudou para coisas menos importantes, coisas que a Bíblia chama de "matérias disputáveis". "Que exista a verdadeira harmonia de modo que não haja divisões na igreja. Rogo a vocês que sejam um em mente, unidos em pensamento e propósito".

2. Seja realista em suas expectativas
Uma vez que você descobre como Deus quer que seja a verdadeira comunhão, é fácil ficar desencorajado pelo diferencial entre o ideal e o real em sua igreja. Podemos amar fervorosamente a igreja a despeito de suas imperfeições. Ficar buscando o ideal usando críticas sobre o real é imaturidade. De outro modo, estabelecer o que é real sem lutar na busca do ideal é complacência. Maturidade é viver em tensão. "Seja paciente com os outros, olhando com tolerância os erros dos outros por causa do seu amor”.Os crentes vão desapontar e entristecer você, mas isso não deve ser desculpa para não continuar em comunhão com eles. Vocês são uma família, mesmo quando não agem como família. E você não deve abandoná-los. As pessoas se tornam desiludidas com a igreja por muitas razões compreensivas. A lista pode ser bem longa: conflitos, ofensas, hipocrisia, negligência, sentir-se insignificante, legalismo, e outros pecados. Em vez de ficarmos chocados e surpresos, devemos lembrar que a igreja é constituída de pecadores, incluindo nós mesmos. Porque somos pecadores, nós nos ferimos uns aos outros, algumas vezes intencionalmente, outras não. Mas em vez de abandonarmos a igreja, devemos permanecer e trabalhar para acertarmos tudo, tanto quanto possível.
Reconciliação e não fuga, é o caminho que fortalece o caráter e aprofunda a comunhão. Abandonar a igreja ao primeiro sinal de desapontamento ou desilusão é marca de imaturidade. Deus quer ensinar algumas coisas a você e aos outros. Além disso, não existe uma igreja perfeita para onde você se transfira. Toda igreja tem suas imperfeições e fraquezas. Logo você vai ficar desapontado de novo.Groucho Marx ficou famoso quando disse que não queria pertencer a um clube que desejasse sua permanência nele. Se a igreja deve ser perfeita para satisfazer você, essa mesma perfeição é suficiente para excluí-lo, porque você não é perfeito! Dietrich Bonhoeffer, o pastor alemão que foi morto por resistir aos nazistas, escreveu um clássico sobre comunhão, Life Together. Nesse livro, ele sugere que a desilusão com a igreja local é uma coisa boa, porque destrói nossa falsa expectativa de perfeição.
Quanto mais cedo deixamos essa ilusão de que a igreja deve ser perfeita para podermos amá-la, mais rápido paramos de fingir e começamos a admitir que somos imperfeitos e precisamos da graça. Este é o começo da verdadeira comunidade. Toda a igreja deveria por um cartaz na porta dizendo: "Aqui não é lugar para pessoas perfeitas. Aqui é o lugar apenas para aqueles que admitem que são pecadores, precisam da graça e desejam crescer”.Bonhoeffer diz: "Aquele que ama o sonho da comunidade, mais do que a comunidade cristã, vai se tornar um destruidor ao final." Se não damos graça diariamente pela comunhão cristã na qual fomos colocados, mesmo quando não haja grandes experiências, ou ricas descobertas, mas muita fraqueza, pequena fé, e dificuldade; se pelo contrário, continuamos reclamando que tudo é desprezível, então impedimos que Deus atue fazendo nossa comunhão crescer.

3. Escolha encorajar em vez de criticar
É sempre mais fácil ficar de fora e atingir aqueles que estão servindo, do que estar envolvido, fazendo alguma contribuição. Deus é muito sério sobre a crítica: "Que direito você tem de criticar os servos dos outros? É somente o patrão deles quem decide se eles estão trabalhando direito..." "Por que você critica as ações de seu irmão, por que você tenta fazê-lo pequeno? Todos seremos julgados um dia, não pelos padrões dos outros, ou mesmo pelos nossos, mas pelo julgamento de Deus”. Sempre que julgo outro crente, instantaneamente quatro coisas acontecem: perco a comunhão com Deus, exponho meu orgulho e insegurança, coloco-me diante do julgamento de Deus e firo a comunhão da igreja. O espírito crítico é um vício caro. A Bíblia chama o Diabo de "acusador de nossos irmãos". É trabalho do Diabo acusar, reclamar e criticar os membros da família de Deus. Em qualquer tempo que fazemos isso, estamos fazendo o trabalho do Diabo por ele. Lembrem-se, vocês cristãos, não importa o quanto você discorde deles, eles não são os inimigos reais. Concordemos em usar toda nossa energia para estarmos de bem com os outros. Ajude os outros com palavras encorajadoras; não os oprima por apontar as suas faltas.

4. Recuse ouvir fofocas
Fofoca é passar uma informação quando você não é parte do problema nem da solução.Você sabe que espalhar fofocas é errado, mas também você não deve ouvi-las se quer proteger sua igreja. Ouvir fofocas é como aceitar uma coisa que foi roubada e isso faz de você tão culpado como quem cometeu o delito.Quando alguém começa a fofocar para você, tenha a coragem de dizer: "Por favor, pare. Eu não quero saber disso. Você já falou pessoalmente com a pessoa envolvida?" A pessoa que fofoca para você vai fofocar de você também. Não são confiáveis. Se você ouve fofoca, Deus diz que você é um criador de problemas. "Criadores de problemas ouvem criadores de problemas”. "Há alguns que dividem a igreja, pensando apenas em si mesmos”. No rebanho de Deus, as piores feridas procedem de outra ovelha, não dos lobos. Paulo adverte sobre cristãos canibais que devoram uns aos outros e destroem a comunhão. Eles devem ser evitados.Em Provérbios 20:19, lemos: "A fofoca revela segredos; portanto não se associe com o falador”.O caminho mais rápido para acabar com os conflitos da igreja é confrontar amorosamente a fofoca e destruí-la. "O fogo se apaga por falta de combustível, e as tensões desaparecem quando as fofocas acabam”.

5. Pratique o método de Deus para resolver os conflitos
Em adição aos princípios mencionados no último capítulo, Jesus deu à igreja um processo simples de três passos: "Se um irmão fere você, vá e diga a ele, trabalhe isso entre vocês dois. Se ele ouvir, você faz um amigo. Se ele não ouvir, arranje uma ou duas pessoas e assim na presença de testemunhas, de forma honesta, tente de novo. Se ainda assim, ele não ouvir, conte para a igreja”. Durante o conflito, é da natureza humana reclamar para uma terceira pessoa em vez de corajosamente falar diretamente com a pessoa envolvida no problema. Isso só piora a situação. Desse modo, você deve ir diretamente à pessoaenvolvida. A confrontação privada é sempre o primeiro passo que você deve dar e quanto mais cedo, melhor. Se você não for capaz de acertar a situação entre os dois, o próximo passo é conseguir testemunhas que confirmem o problema e ajudem na reconciliação. E se a pessoa permanecer empacada? Jesus diz para dizer a igreja e, se a pessoa ainda assim se recusar a ouvir, ela deverá ser tratada como um descrente.

6. Apóie seu pastor e líderes
Não há líderes perfeitos, mas Deus deu a eles a responsabilidade e a autoridade para manter a unidade da igreja. Durante o conflito, é sempre uma tarefa ingrata o tentar a reconciliação entre as partes que têm pontos de vistas diferentes. "Seja responsivo aos seus líderes pastorais. Ouça os conselhos deles. Eles estão alerta para as condições de suas vidas e trabalham sob a estrita supervisão de Deus. Contribua para a alegria de sua liderança, e não a perturbe. Por que você iria gostar de fazer as coisas mais difíceis para eles?" Os pastores um dia estarão diante de Deus e prestarão contas de como cuidaram de vocês. "Eles estão cuidando de vocês como homens que vão prestar contas disso”. Mas você é responsável também. Você também vai prestar contas a Deus da maneira como você tratou os seus líderes. A Bíblia dá aos pastores instruções específicas de como tratar as pessoas que contribuem para a divisão na igreja. Eles precisam evitar discussões acaloradas e gentilmente ensinar a oposição enquanto ora para que mudem, advertir aqueles que são problemáticos, rogar pela harmonia e unidade, enfrentar os que desrespeitam a liderança e remover da igreja pessoas que causam dissensões se ignoram as duas advertências iniciais. Protegemos a unidade da igreja por honrar àqueles que nos servem como líderes. Pastores e anciãos precisam de nosso encorajamento, orações, apreciação e amor. "Honrem os líderes que trabalham duro para vocês, que receberam a responsabilidade de cuidar e guiar vocês no caminho da obediência. Cubra-os com sua apreciação e amor”. Na igreja Saddleback, todos os membros assinam um convênio que inclui a promessa de proteger a unidade da igreja. Como resultado disso, a igreja nunca teve uma divisão. Desafio você a aceitar sua responsabilidade de proteger e promover a unidade de sua igreja. Coloque todo seu esforço nisso e estará agradando a Deus.

Isso nem sempre será fácil. Algumas vezes você terá de fazer o que for melhor para o Corpo e não para você mesmo, mostrando preferência para os outros. Esta é a razão porque Deus nos colocou na família da igreja - para aprender a não sermos egoístas. Na comunidade nós aprendemos a dizer "nós" em vez de "eu" e "nosso" em vez de "meu". "Não pense apenas em seu próprio bem. Pense nos outros cristãos e no que é melhor para eles”. Deus abençoa a igreja que é unida. Quando temos um grupo de 'crianças na fé' na igreja, elas procuram pela igreja-incubadeira mais quentinha que possam encontrar. Todos precisam de amor, e quando os crentes estão amando genuinamente uns aos outros, você deve fechar as portas para que não saiam."Para todos vocês, deixem que o amor guie suas vidas, pois então a igreja estará junta em perfeita harmonia”.
Por Pr Rick Warris

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

ESTOU DESANIMADO COM A IGREJA


Oi,a graça.

Nem sei se você lerá esta mensagem, mas, enfim, preciso desabafar. Há anos pastoreio a igreja. Estudei muito para chegar onde cheguei, acreditando que o estudo me daria boas condições para exercer um ministério profícuo, de alto nível, e, principalmente que a igreja seria alimentada, e saciada, sempre quisesse mais de mim.

Por outro lado, estudei também porque no mundo em que vivemos, as pessoas são respeitadas pela bagagem que possui, pela instrução adquirida sob muito esforço e dedicação; porque se o mercado de trabalho está tão exigente quanto á qualificação profissional, acredito que eu preciso oferecer o melhor para Deus, não no céu, lá Ele não precisa de mim, mas aqui, na Sua igreja, onde Ele conta comigo, assim, pensei: "se serei um pastor, preciso ser o melhor".

O Seminário me ensinou muita coisa em 5 anos de Graduação em Teologia: Grego e Hebraico, Heresiologia, Homilética, Filosofia, Psicologia, Missiologia, Português, Hermeneutica...que saudade. Meus professores e professoras foram pessoas muito dedicadas no ensino, quero aqui agradece-los(as).

...Mas, nunca estive tão desanimado com a igreja...

Eu amo o ministério. Pregar a palavra me é um enorme prazer. Visito as ovelhas. Amo-as. Mas nestes momentos tenho só vontade de chorar. Trabalhei todo este tempo na igreja porque acreditava que a igreja poderia crescer, que as almas poderiam ser alcançadas, e que eu poderia falar de Deus para um número maior de pessoas. O sermão é sempre meticulosamente preparado, e prego-o com tamanha altivez que me falta a voz no dia seguinte. Que bênção pregar a Palavra!

Hoje, não sou tão jovem quanto quando iniciei esta caminhada. Se pudesse, gostaria de indicar uma outra disciplina para o Seminário, uma disciplina que preparasse os futuros pastores para os fracassos ministeriais; uma matéria que dissesse aos futuros pastores que eles não seriam amados nas igrejas que fosses pastorear, porque o seu salário abocaria uma fatia da arrecadação da igreja, e esse dinheiro seria melhor se ficasse na conta bancária da igreja, rendendo o prazer de relatar aos concílios os valores aplicados nas agências bancárias. Uma matéria a mais seria interessante para esclarecer aos futuros pastores que eles serão como os técnicos de futebol, não no que diz respeito ao salário, nem aos contratos, mas quanto aos resultados, ou seja, se não produzir (sozinho) ele será descartado, pois "gente desempregada" tem muitos, e é só estalar os dedos que muitos aparecem, até para ganhar um pouco menos. Assim eles não se assustariam em ter que trabalhar sozinhos e ainda assim, serem demitidos por perderem duas seguidas.
...Mas, nunca estive tão desanimado com a igreja...

Mas se ainda me permitem, gostaria de indicar somente mais uma matéria. Uma que nos deixasse como "calos" endurecidos, sem sensibilidade, quem sabe uma disciplina que nos tirasse o coração de carne, e implantasse um "chip", daqueles liga-desliga, apaga, deleta. Desta forma pastores enfartariam menos, chorariam menos, sofreriam menos, desanimariam menos.

...Mas, nunca estive tão desanimado com a igreja...

Acho que a culpa é minha mesmo. Nunca meus professores disseram que eu deveria ter esperança, que eu deveria confiar na igreja, que eu seria amado e respeitado só por ser um pastor. O que é ser um pastor?! Ser pastor... é ser nada! A culpa é minha mesmo. Eu é que me iludi com aquilo que ninguém disse que aconteceria, foi somente coisa da minha cabeça, por isso estou sofrendo agora. Quem sabe chegou meu tempo. O tempo de eu entrar em minha caverna pessoal como Davi, como Elias, e esperar a morte chegar. Ela é o fim, talvez um novo começo.

Ah como eu almejo esta nova terra.

O amanhã não me pertence...Mas, nunca estive tão desanimado com a igreja...

Se você está lendo estas palavra, queria te dizer, não perca seu tempo. É apenas um desabafo. Pastor não tem com quem falar mesmo, ele sofre sozinho. Às vezes não desabafa com a família para não faze-la sofrer, e não desabafa com a igreja, porque ela é a sepultura de muitos deles, assim, a gente tem medo.

Só quero entrar em minha caverna e chorar. chorar na minha velhice por acreditar tanto, por sonhar tanto, por sofrer tanto...

Essa é minha caverna, por favor, deixe-me sozinho. Como sempre estive no ministério, terminarei os meus dias...sozinho, sonhando...

...Mas, nunca estive tão desanimado com a igreja...

Desculpe, não posso escrever meu nome. Não posso demonstrar tristeza, desânimo, lágrimas. A igreja não quer homens, ela quer "super heróis", e, para eles eu sou um. Assim, não posso mostrar minha verdadeira identidade, senão eles me dispensam.

Um pastor, velho, sonhador.

terça-feira, 29 de julho de 2008

PG - O HOMEM QUE NÃO ESTAVA PREPARADO PARA SE ENCONTRAR COM DEUS


Texto Básico: "16 E lhes proferiu ainda uma parábola, dizendo: O campo de um homem rico produziu com abundância. 17 E arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei, pois não tenho onde recolher os meus frutos? 18 E disse: Farei isto: destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens. 19 Então, direi à minha alma: tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te. 20 Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? 21 Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus." (Lucas 12.16-21)

Introdução: O que é Preparo: Aptidão para determinada tarefa; Capacidade adquirida para executar uma função. O que não é Preparo: Não é uma capacidade nata; Não é adquirida por talento, dom ou herança.

Você está preparado para morrer AGORA? Você está preparado para se encontrar com a morte HOJE?
Frase de Transição: Este homem não estava preparado para encontrar-se com Deus porque:

1) DESPERDIÇOU O TEMPO DE DEUS PREOCUPADO COM AS COISAS MATERIAIS
·Jesus está falando de uma parábola (Geralmente história curta ou comparação baseada em fatos verdadeiros com o fim de ensinar lições a respeito do Reino de Deus, ou de sabedoria ou moral)
·Jesus está falando ao povo de algo real e vivencial na vida do povo: o egoísmo, problemas familiares.
·Quando não encontramos tempo para Deus em nossa agenda, estamos próximo ao fracasso da fé. "Decorrido o turno de dias de seus banquetes, chamava Jó a seus filhos e os santificava; levantava-se de madrugada e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles, pois dizia: Talvez tenham pecado os meus filhos e blasfemado contra Deus em seu coração. Assim o fazia Jó continuamente" (Jó 1.5); "Quanto amo a tua lei! É a minha meditação, todo o dia!" (Salmo 119.97).
·Os filhos do capitalismo não aprenderam as lições do limite, ganhar e ganhar é a máxima do capitalismo: Bill Gates, é o primeiro da lista dos 465 bilionários, com a fortuna de 90 bilhões de dólares. O co-fundador da empresa, Paul Allen, ficou em terceiro lugar, com 30 bilhões de dólares. O diretor da Microsoft, Steven Ballmer, em quarto lugar, com 19,5 bilhões de dólares. Eles querem mais.
·Cuidar das coisas materiais, ou tê-las em si mesmo não é pecado ou desagrado diante de Deus. (José, Abraão, Jacó, Daniel
·Substituir Deus em sua vida por causa das cousas materiais é um agravo terrível que coloca Deus em segundos planos na sua vida.
·Deus exige prioridade nas coisas espirituais se quisermos que Ele priorize as coisas materiais em nossas vidas.
·Tudo que não é prioridade é secundário. Quando você coloca Deus em segundo plano Ele não prioriza Suas bênçãos sobre sua vida. (instituição dos: dízimos, ofertas, esmolas, dia do Senhor) "Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas" (Lucas 13.31).

2) DESPERDIÇOU O TEMPO DE SUA FAMÍLIA PARA TER O MELHOR DESSA TERRA
· A usura e o egoísmo são o combustível para nos afastar das pessoas que nos amam (cônjuges, filhos, familiares, amigos, etc.).
· A família é o maior bem que alguém pode ter nessa terra, não se compra, não se paga, Deus dá.
· A preocupação demasiada com as coisas materiais é a causa da desconfiança nos relacionamentos. "Nesse ponto, um homem que estava no meio da multidão lhe falou: Mestre, ordena a meu irmão que reparta comigo a herança" (Lucas 12.13)
· O texto nos apresenta um problema familiar entre dois irmãos que brigavam por causa de dinheiro.
Uma pergunta pessoal: Você tem algum tipo de problema familiar?
· Nenhum sucesso financeiro compensa o fracasso familiar. Não precisamos tanto de dinheiro para viver quanto precisamos de uma família (Pv 30.8). O d
inheiro compra coisas boas - família dá prazer, alegria, felicidade, contentamento, sonha com a gente - isso não se compra
· Os bens adquiridos na terra passam, todavia, os bens que Deus nos dá são para eternidade.

3) DESPERDIÇOU TODO SEU TEMPO DE PREPARO PARA A ETERNIDADE COM O PREPARO PARA O MUNDO PASSAGEIRO

· No mundo atual não temos tempo pra nada. Mas o tempo sempre foi o mesmo (ano: 360 dias; dia: 24h; hora: 3600s; minuto: 60s).
· Deus não mudou o tempo, nós perdemos a capacidade de administra nosso tempo corretamente;
· Oração de um sem tempo: “Deus, me perdoe, mas estou sem tempo, para te dizer que não tenho tempo, de separar um tempo, para passar um momento na Tua presença”.
· A Bíblia ensina que há um tempo determinado para tudo. " 1 Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu: 2 há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou; 3 tempo de matar e tempo de curar; tempo de derribar e tempo de edificar; 4 tempo de chorar e tempo de rir; tempo de prantear e tempo de saltar de alegria; 5 tempo de espalhar pedras e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar e tempo de afastar-se de abraçar; 6 tempo de buscar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de deitar fora; 7 tempo de rasgar e tempo de coser; tempo de estar calado e tempo de falar; 8 tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz." (Eclesiastes 3.1-8)
· O texto nos fala de um homem que trabalhou toda a vida para adquirir bens, e ele não estava errado. A reprovação de Jesus não estava no fato de o homem trabalhar para ter bens, mas na inversão das prioridades: ele passou toda sua vida preocupado com as coisas materiais, e não teve tempo de se preparar para a morte.
· A morte é a única certeza que todos nós temos nesse mundo.
· Quando ele pensou que iria descansar e desfrutar das suas riquezas acumuladas, Deus o chama para a eternidade
· A loucura desse homem não estava na riqueza acumulada, mas em se esquecer de Deus.
· Esse texto nos ensina que esse mundo é bom, mas passageiro, e a vida após a morte é eterna. (Lc 16.19-31).
· Priorizar o Reino de Deus nesse mundo é se preparar para uma vida na presença de Deus na eternidade. "então, dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai! Entrai na posse do reino que vos está preparado desde a fundação do mundo."(Mateus 25.34)

Conclusão:
1) Você está preparado para se encontrar com Deus?
2) Chegará o dia em que o Deus eterno dirá: “Basta!” e sua vida terá um fim quer você queira, quer não.
3) Palavras de Jesus: “porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”. (Lc 12.15b)

PG - COMO OBTER A EMANCIPAÇÃO FINANCEIRA


1. RECONHEÇA QUE DEUS É DONO DE TUDO QUE EXISTE NESTE MUNDO, INCLUINDO VOCÊ MESMO
• “Ao Senhor pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam”(Sl 24.1);
• Deus é proprietário de todas as coisas;
• Nós possuímos coisas, mas somente Deus é dono de tudo;
• Nós ganhamos dinheiro, mas Deus é quem nos capacita;

2. ESTABELEÇA UM SISTEMA DE VALORES BASEADO NA BÍBLIA
• “Buscai, pois, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a Sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”(Mateus);
• Priorizar o Reino de Deus significa deixar Deus conduzir sua vida econômica;
• Significa não dar maior valor às bênçãos do que o Deus abençoador;

3. ESTABELECER UM ALVO ESPIRITUAL PARA SUA VIDA ECONÔMICA
• O que você deseja fazer com os bêns materiais que Deus colocou sob a sua administração?
• “Quão maravilhosa é a religião cristã! Toma o dinheiro que representa o espírito deste mundo, personificado no interesse próprio, na cobiça, na avareza e no orgulho, e transforma num instrumento para a glória e o serviço de Deus”(Andrew Murray)
• Uma boa maneira de usar o dinheiro, é usá-lo para ajuntar tesouros nos céus;
• Investir na obra missionária e na casa de Deus é fazer um investimento eterno;
• “Quanto menos eu gastar comigo mesmo e mais com o Senhor, mais rico eu serei

4. SEJA UM DIZIMISTA FIEL
• Entregar o dízimo é um princípio bíblico para nossa felicidade econômica;
• Dízimo não é uma obrigação mas um privilégio de caminhar dentro dos planos econômicos de Deus;
• Deus considera o dízimo uma questão de tanta importância que o estabeleceu antes mesmo da lei ser dada (Gênesis 14.20);
• Não há prosperidade econômica para o crente se ele é infiel a Deus;
• Ou você entrega seu dízimo a Deus, ou satanás o tira de você;
• Quando entregamos nosso dízimo, nos colocamos na disposição de receber o que Deus nos prometeu em Malaquias 3.10.

domingo, 13 de julho de 2008

PG - O SUCESSO ECONÔMICO


5º ERRO: Não praticar a Bondade
• A avareza é sempre acompanhada pela mesquinharia;
• O desejo de possuir para si fecha a porta para a necessidade do outro;
Bem mais aventurado é dar do que receber.” (At 20.35);
• "Daí, e dar-se vos-á, boa medida, recalcada, sacudida, transbordante, generosamente vos darão". (Lc 6.38)
• Este princípio de dar e receber atua em três áreas na nossa vida: • Deus: Ml 3.10; • Irmãos na fé: Gl 6.10; • Pobre e Necessitado: Pv 14.21.
• Há muitas pessoas que são infiéis ao Senhor, na área financeira, por isso sempre vivem em dificuldades;
"Tendes semeado muito e recolhido pouco; comeis, mas não chega para fartar-vos; bebeis, mas não dá para saciar-vos; vestis-vos, mas ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o para pô-lo num saquitel furado" (Ageu 1.6)

6º ERRO: Prática da Desonestidade
• A desonestidade é prática comum e aprovada no meio do povo brasileiro;
• A desonestidade é o caminho mais curto para o sucesso e a prosperidade;
Trabalhar por adquirir tesouro com língua falsa é vaidade e laço mortal.” (Pv 21.6);
• O que oprime o pobre para enriquecer a si, ou o que dá ao rico certamente empobrecerá. (Pv 10.2)
A DESONESTIDADE SERÁ PUNIDA POR DEUS

7º ERRO: Trabalho, Trabalho, Trabalho
• O verdadeiro sucesso não está, necessariamente em “trabalhar muito”;
• Muitas pessoas sacrificam saúde, família e principalmente Deus, para o trabalho;
• O salmo 128 trás esta perspectiva;
Não te fadigues para ser rico; pois o rico e o pobre se encontram, a um e a outro faz o SENHOR. (Lc 6.38)
NÃO HÁ SUCESSO NO TRABALHO QUE RECOMPENSE A DESTRUIÇÃO DA SUA FAMÍLIA, DA SUA SAÚDE E DO SEU RELACIONAMENTO COM DEUS.


continua...

sábado, 5 de julho de 2008

PG - O SUCESSO ECONÔMICO


O que é sucesso? Para muitas pessoas ter sucesso é ganhar dinheiro, ter prestígio, adquirir coisas; Mas a realidade econômica brasileira sempre trouxe terríveis problemas financeiros para as famílias brasileiras.
Neste estudo vamos aprender as orientações econômicas com a pessoa mais rica do mundo, pois...” a Ele pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam” (Sl 24.1)

1) OS SETE ERROS

1º ERRO: Contrair Dívidas
“O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta” (Pv 22.7);
·Quando contraímos dívidas assumimos uma posição de servo (escravo);
·Dívida é algo que deve ser evitado sempre (“a ninguém fiqueis devendo coisa alguma” (Rm 13.8);

2º ERRO: Gastar mais do que ganha
·Gastar mais do que ganha é “mal usar” o que Deus nos dá;
·Quem administra bem o que Deus lhe dá prosperará cada vez mais. “foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei” (Mt 25.21);
·Há pessoas endividadas com: bancos, cartões de créditos, parentes e agiotas, e na maioria das vezes a causa é: “Gastar mais do que ganha”.
·Geralmente estes gastos são com coisas que poderiam ser evitadas ou proteladas.
·Um ditado popular: “ quem quiser administrar seus bens corretamente, não pode se perguntar onde foi parar o dinheiro; ele é que tem de dizer para onde o dinheiro deveria ter ido”. “30 Eu andei pelos campos e plantações de uva de um homem tolo e preguiçoso. 31 Tudo estava cheio de espinhos e coberto de mato, e o muro de pedras havia caído. 32 Olhei para aquilo, pensei bem e aprendi a seguinte lição: 33 Durma um pouco mais, cruze os braços e descanse mais um pouco; 34 mas, enquanto você estiver dormindo, a pobreza o atacará como um ladrão armado. (Pv 24.30-34)

3º ERRO: Ter a vida centralizada no dinheiro
·O mundo vive em função do dinheiro e de possuir bens materiais. “Prestem atenção! Tenham cuidado com todo tipo de avareza porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas.” (Lc 12.15);
·Hoje, a correria pela aquisição de bens e dinheiro atinge todas as pessoas, ricos e pobres, e isso causa um grande mal. “Porém os que querem ficar ricos caem em pecado, ao serem tentados, e ficam presos na armadilha de muitos desejos tolos, que fazem mal e levam as pessoas a se afundarem na desgraça e na destruição. 10 Pois o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os tipos de males. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos. (1Tm 6.9-10);

4º ERRO: Desejo de ficar rico depressa
·Ficar rico é o desejo de todos. “O ganancioso tem tanta pressa de ficar rico, que nem percebe que a pobreza está chegando.” (Pv 28.22);
·Correr atrás da riqueza não é errado, todavia há aqueles que deixam Deus de lado, para se dedicarem ao esporte da corrida pela riqueza. “A vida da pessoa honesta é cheia de felicidade, mas quem tem pressa de enriquecer não fica sem castigo.” (Pv 28.20);
·Um patrimônio ‘honesto’ não se constrói da noite para o dia, mas é construído com a vida.

PG - O SUCESSO ECONÔMICOProsperando nas bênçãos de Deus



· O que é sucesso? Para muitas pessoas ter sucesso é ganhar dinheiro, ter prestígio, adquirir coisas; Mas a realidade econômica brasileira sempre trouxe terríveis problemas financeiros para as famílias brasileiras;
· Neste estudo vamos aprender as orientações econômicas com a pessoa mais rica do mundo, pois...” a Ele pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam” (Sl 24.1)

1) OS SETE ERROS

1º ERRO: Contrair Dívidas
“O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta” (Pv 22.7);
· Quando contraímos dívidas assumimos uma posição de servo (escravo);
· Dívida é algo que deve ser evitado sempre (“a ninguém fiqueis devendo coisa alguma” (Rm 13.8);

2º ERRO: Gastar mais do que ganha
· Gastar mais do que ganha é “mal usar” o que Deus nos dá;
· Quem administra bem o que Deus lhe dá prosperará cada vez mais. “foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei” (Mt 25.21);
· Há pessoas endividadas com: bancos, cartões de créditos, parentes e agiotas, e na maioria das vezes a causa é: “Gastar mais do que ganha”.
· Geralmente estes gastos são com coisas que poderiam ser evitadas ou proteladas.
· Um ditado popular: “ quem quiser administrar seus bens corretamente, não pode se perguntar onde foi parar o dinheiro; ele é que tem de dizer para onde o dinheiro deveria ter ido”. “30 Eu andei pelos campos e plantações de uva de um homem tolo e preguiçoso. 31 Tudo estava cheio de espinhos e coberto de mato, e o muro de pedras havia caído. 32 Olhei para aquilo, pensei bem e aprendi a seguinte lição: 33 Durma um pouco mais, cruze os braços e descanse mais um pouco; 34 mas, enquanto você estiver dormindo, a pobreza o atacará como um ladrão armado. (Pv 24.30-34)

3º ERRO: Ter a vida centralizada no dinheiro
· O mundo vive em função do dinheiro e de possuir bens materiais. “Prestem atenção! Tenham cuidado com todo tipo de avareza porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas.” (Lc 12.15);
· Hoje, a correria pela aquisição de bens e dinheiro atinge todas as pessoas, ricos e pobres, e isso causa um grande mal. “Porém os que querem ficar ricos caem em pecado, ao serem tentados, e ficam presos na armadilha de muitos desejos tolos, que fazem mal e levam as pessoas a se afundarem na desgraça e na destruição. 10 Pois o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os tipos de males. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos. (1Tm 6.9-10);

4º ERRO: Desejo de ficar rico depressa
· Ficar rico é o desejo de todos. “O ganancioso tem tanta pressa de ficar rico, que nem percebe que a pobreza está chegando.” (Pv 28.22);
· Correr atrás da riqueza não é errado, todavia há aqueles que deixam Deus de lado, para se dedicarem ao esporte da corrida pela riqueza. “A vida da pessoa honesta é cheia de felicidade, mas quem tem pressa de enriquecer não fica sem castigo.” (Pv 28.20);
· Um patrimônio ‘honesto’ não se constrói da noite para o dia, mas é construído com a vida.

PG - O SUCESSO ECONÔMICOProsperando nas bênçãos de Deus



· O que é sucesso? Para muitas pessoas ter sucesso é ganhar dinheiro, ter prestígio, adquirir coisas; Mas a realidade econômica brasileira sempre trouxe terríveis problemas financeiros para as famílias brasileiras;
· Neste estudo vamos aprender as orientações econômicas com a pessoa mais rica do mundo, pois...” a Ele pertence a terra e tudo o que nela se contém, o mundo e os que nele habitam” (Sl 24.1)

1) OS SETE ERROS

1º ERRO: Contrair Dívidas
“O rico domina sobre o pobre, e o que toma emprestado é servo do que empresta” (Pv 22.7);
· Quando contraímos dívidas assumimos uma posição de servo (escravo);
· Dívida é algo que deve ser evitado sempre (“a ninguém fiqueis devendo coisa alguma” (Rm 13.8);

2º ERRO: Gastar mais do que ganha
· Gastar mais do que ganha é “mal usar” o que Deus nos dá;
· Quem administra bem o que Deus lhe dá prosperará cada vez mais. “foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei” (Mt 25.21);
· Há pessoas endividadas com: bancos, cartões de créditos, parentes e agiotas, e na maioria das vezes a causa é: “Gastar mais do que ganha”.
· Geralmente estes gastos são com coisas que poderiam ser evitadas ou proteladas.
· Um ditado popular: “ quem quiser administrar seus bens corretamente, não pode se perguntar onde foi parar o dinheiro; ele é que tem de dizer para onde o dinheiro deveria ter ido”. “30 Eu andei pelos campos e plantações de uva de um homem tolo e preguiçoso. 31 Tudo estava cheio de espinhos e coberto de mato, e o muro de pedras havia caído. 32 Olhei para aquilo, pensei bem e aprendi a seguinte lição: 33 Durma um pouco mais, cruze os braços e descanse mais um pouco; 34 mas, enquanto você estiver dormindo, a pobreza o atacará como um ladrão armado. (Pv 24.30-34)

3º ERRO: Ter a vida centralizada no dinheiro
· O mundo vive em função do dinheiro e de possuir bens materiais. “Prestem atenção! Tenham cuidado com todo tipo de avareza porque a verdadeira vida de uma pessoa não depende das coisas que ela tem, mesmo que sejam muitas.” (Lc 12.15);
· Hoje, a correria pela aquisição de bens e dinheiro atinge todas as pessoas, ricos e pobres, e isso causa um grande mal. “Porém os que querem ficar ricos caem em pecado, ao serem tentados, e ficam presos na armadilha de muitos desejos tolos, que fazem mal e levam as pessoas a se afundarem na desgraça e na destruição. 10 Pois o amor ao dinheiro é uma fonte de todos os tipos de males. E algumas pessoas, por quererem tanto ter dinheiro, se desviaram da fé e encheram a sua vida de sofrimentos. (1Tm 6.9-10);

4º ERRO: Desejo de ficar rico depressa
· Ficar rico é o desejo de todos. “O ganancioso tem tanta pressa de ficar rico, que nem percebe que a pobreza está chegando.” (Pv 28.22);
· Correr atrás da riqueza não é errado, todavia há aqueles que deixam Deus de lado, para se dedicarem ao esporte da corrida pela riqueza. “A vida da pessoa honesta é cheia de felicidade, mas quem tem pressa de enriquecer não fica sem castigo.” (Pv 28.20);
· Um patrimônio ‘honesto’ não se constrói da noite para o dia, mas é construído com a vida.

terça-feira, 1 de julho de 2008

PG - USANDO O QUE DEUS ME DEU



"Oferecer-te-ei sacrifícios de ações de graças e invocarei o nome do Senhor". (Salmos 116.17)

Deus Merece o Melhor de Mim
É sempre muito bom relatar as bênçãos de Deus sobre as nossas vidas, e a cada dia que escrevo estas mensagens para os Pequenos Grupos a minha vida tem sido impactada de maneira maravilhosa.
Ultimamente tenho pensado sobre como devo usar aquilo que Deus me deu. Será que temos realmente usado tudo o que Pai Celestial nos deu, para que a Glória seja dada somente a Ele? Será que temos sido bons administradores e bons “mordomos” fiéis ao Deus que dono de tudo é, quanto àquilo que Ele, tão bondosamente tem nos dado para cuidar aqui neste mundo?
Amados tenho um breve testemunho para relatar a vocês, assim como no texto passado aconteceu algo impactante em minha vida no feriado passado do dia 7 de junho.
Neste dia fui com uns amigos visitar uma amiga que fazia aniversário, e no decorrer da festa posso dizer que comemos muito, eu e meus amigos falamos das coisas de Deus, rimos muito, ou seja, quando o povo de Deus se reuni é alegria completa.
Ao término da festa minha amiga separou um pratinho de bolo para cada um e ao sair da casa dela todos foram abastecidos de guloseimas. O engraçado é que o meu pedaço de bolo era muito grande, mas agradeci muito por aquele bolo. Deus já tinha um propósito para o bolo.
Na direção do nosso carro naquele dia estava meu irmão, e íamos fazer um caminho, mas resolvemos fazer um outro caminho que por fim sairia no mesmo lugar. Mas um fato inusitado nos surpreendeu quando paramos num farol. Aproximou-se de nosso carro um morador de rua, bem cansado e com aparência de faminto. Quando eu olhei aquele homem, no mesmo momento entreguei o bolo que havia ganhado e para a nossa surpresa aquele homem disse:- O que vocês estão me dando é comida? Como posso agradecer, ainda mais em um pacote tão lindo, o que posso dizer a vocês - acho que somente obrigado. Ao receber o pacote aquele homem chorou, e correndo foi abrir o que tinha recebido.
Deus merece o melhor de mim e de você, as pessoas que necessitam de Deus merecem o melhor de mim e de você, as pessoas que passam fome merecem o melhor de mim e de você, a Palavra de Deus diz que se nós dermos a esses pequeninos, estaríamos agradando ao nosso Pai Celestial.
Depois deste acontecimento parei para refletir e agradecer a Deus pela minha família, saúde, casa, comida, alegria, roupas, sapatos, e acima de todas essas coisas as benção espirituais de Deus pra mim, por isso "Deus merece o melhor de Mim"!
Deus merece constantemente o melhor de nós, pois Ele é um Pai de Amor. A Ele toda Glória, Honra e Louvor, nunca vou parar de adorá-lo, temos um elo de amor com o Pai Celestial por toda a eternidade.

Fiquem na paz do Senhor Jesus.

sábado, 28 de junho de 2008

PG - ACEITANDO SUA MISSÃO


Pois somos feituras dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Efésios 2.10

O que é estar aceitando a sua missão? Servir não é uma questão de opção! Servir é estarmos participando do trabalho do Senhor. E Ele nós criou para que tivéssemos uma vida nova, e uma nova vida só pode ser feita quando estamos com Ele.

Aqueles que respondem com fé e arrependimento e aceitam a Cristo como Senhor e Salvador, recebem graça adicional para sua regeneração, ou novo nascimento, pelo Espírito e ser cheios do Espírito. O cristão deve se esforçar para viver para Deus, mediante a graça que nele opera.

A graça divina opera no crente dedicado, tanto para querer, como para cumprir a boa vontade de Deus. Então queridos precisamos estar em comunhão diária com o Pai, somos criaturas do nosso Criador temos a missão de estar fazendo parte do Seu reino sendo como Ele foi e é e vai ser por todo sempre por todo sempre.

Quando somos chamados para fazer parte do Corpo de Cristo, o que acontece quando nos tornamos membros da sua igreja, então passamos a entender que ser servo de Cristo não significa só aceitar, mas também significa participar. Pela fé somos chamados a aceitar a Jesus Cristo como nosso único e suficiente salvador, e por obediência, somos levados pelo Seu santo Espírito a servi-lo como nossas vidas ao Seu Reino.

O mundo, as pessoas que estão perdidas nas trevas, na desilusão, na desesperança, na incredulidade, na idolatria, nos vícios e na destruição não precisam de uma igreja em sua porta, mas precisam de pessoas crentes fieis ao Senhor Jesus, que tenham um comportamento cristão digno da Palavra de Deus, que seja realmente Sal da terra e Luz do mundo.

Quando você aceita a sua missão, então você não se contenta em apenas ä participar” de um culto ao Senhor, mas você sente algo que vem do alto, um santo incomodo que não deixa você ficar parado, mas que te eleva muito acima de um titulo de crente, ou de ser apenas um “crentêz” cheio de palavras e mandingas crentez, mas faz de você um servo útil para Deus e para sua igreja neste mundo.

Deus te chamou! Você tem essa convicção? Você pode repetir: “Deus me chamou”. Diga para você mesmo: “DEUS ME CHAMOU”. Se você tem essa convicção, então diga a Deus: “Eis-me aqui, vo te adorar, meu prazer é te servir”. Nào se contente com menos que “servir” ao Senhor dos Senhores. Se dedique a Ele mais do que você se dedica em seu emprego, ame a Ele mais que qualquer coisa ou pessoa dessa terra. Se disponha, isso mesmo, se disponha a todo tempo, em todo momento, sejam quais forem as circunstâncias para ser um instrumento de Deus. Ele te escolheu, ame esse chamado e tenha PRAZER em servir ao Senhor.

Deus te abençoe, e, se disponha mais ao Senhor dos senhores.

domingo, 15 de junho de 2008

PG - NÃO PERCA A ESPERANÇA


E eu, Senhor, que espero? Tu és a minha esperança.” (Salmos 39:7)

Você já esteve em meio a um momento de grande batalha onde, de repente, você tem a impressão que a sua fé parou de funcionar? Talvez você estivesse orando a Deus e crendo em sua cura, libertação financeira ou até mesmo a salvação da sua família. Espiritualmente tudo estava no lugar: você encontrou as escrituras que lhe prometiam o que você precisava, e estava atirando palavras de fé como uma metralhadora. Mas com o passar o tempo a sua “bateria espiritual” começou a enfraquecer, e o poder que você tinha no começo da situação agora parecia mais fraco. Por isso você começou a suspeitar que nada iria acontecer.

Em desespero você tentou acabar com aquelas dúvidas dizendo tais palavras mais alto e mais longamente. Você tentou forçar a sua fé para funcionar e não conseguiu. Você continuou enfermo, sem dinheiro e sem seus parentes salvos, e ainda se perguntando: “O que aconteceu de errado?” No final você apenas pensou que era um fracasso de fé. Mas o que eu estou para lhe dizer poderá mudar a sua vida, porque mudou a minha.

O que você experimentou não foi o fracasso da fé, mas a queda da sua esperança. Muitos crentes não prestam muita atenção na esperança. Eles não pensam que ela seja importante tanto quanto a fé. Mas a verdade é que a fé não funciona sem a esperança. Isso porque a “Fé é a certeza daquilo que se espera (...)” (Hebreus 11.1). Algumas vezes digo que a esperança vem antes da fé; quando a esperança é perdida a fé fica sem alvo, fica sem missão a cumprir, atira para todos os lados.

Muitas vezes confundimos esperança com desespero. Lembro-me que muitas vezes já entrei no quarto para orar em desespero e não parava de falar a palavra e confessar as promessas de Deus para mim; porém, o meu coração continuava inquieto. Um dia Deus me disse que ficasse calado e apenas contemplasse o que Ele pode fazer. Outras vezes confundimos esperança com desejo. As pessoas no mundo dizem: “Bem que eu gostaria de receber um aumento”, sendo que na verdade o que eles estão dizendo é: “Bem que eu gostaria, mas sei que não vai acontecer”. O tipo de esperança de que a palavra de Deus nos fala não é como a do mundo, baseada em desejos ou necessidade. Ela é baseada em nossa aliança com Deus no batismo, e na unção que Ele já providenciou nessa aliança. De fato, Efésios 2.12 diz: “(...) estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo”.

A esperança da palavra é aquela que você mantém diante dos seus olhos e também no mais íntimo do seu coração, e a partir daí você começa a montar a imagem em seu coração. A esperança começa quando você começa a se ver com o que Deus prometeu a você. Quando você tem esperança, você então tem uma expectativa sobrenatural em relação àquilo que Deus prometeu a você. O apóstolo Paulo fala sobre essa expectativa sobrenatural em Filipenses 1.19-20: “Porque estou certo de que isto mesmo, pela vossa súplica e pela provisão do Espírito de Jesus Cristo, me redundará em libertação, segundo a minha ardente expectativa (...)”.

Não perca a sua esperança; antes, pelo contrário, alimente-a pela palavra e troque o desespero pela expectativa. Creia na palavra de Deus e cresça na fé freqüentando os cultos e cumprindo fielmente sua aliança com Deus. Se você ainda não declarou pelo batismo sua aliança com Deus, decida-se já, pois enquanto você fica pensando, ricas bênçãos você tem deixado de ganhar.

Decida-se hoje mesmo a ser fiel ao Senhor Jesus.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

PG - MELHOR É POSSÍVEL


Texto Básico:1 Aconteceu que, ao apertá-lo a multidão para ouvir a palavra de Deus, estava ele junto ao lago de Genesaré; 2 e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes. 3 Entrando em um dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-se, ensinava do barco as multidões. 4 Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. 5 Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes. 6 Isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompiam-se-lhes as redes. 7 Então, fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los. E foram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase irem a pique. (11)E, arrastando eles os barcos sobre a praia, deixando tudo, o seguiram.” (Lucas 5.1-7, 11)

Introdução:
· Somos uma geração que busca as respostas para os dilemas humanos;
· A maioria das ansiedades humanas tem resposta nas mãos de Deus;
· Você está passando por ansiedades e orações não respondidas neste exato momento?
· Você tem passado por necessidades profundas e reais;
· Deus pode fazer coisas incríveis e inacreditáveis na sua vida.

Melhor é Possível quando:

1) QUANDO VOCÊ ESTA DISPOSTO A SERVIR A DEUS
2 e viu dois barcos junto à praia do lago; mas os pescadores, havendo desembarcado, lavavam as redes. 3 Entrando em um dos barcos, que era o de Simão, pediu-lhe que o afastasse um pouco da praia; e, assentando-se, ensinava do barco as multidões.
· É muito comum pessoas que querem a benção de Deus, mas não querem o Deus da bênção;

É muito comum pessoas que vivem abençoadas, mas:
o Mas na reconhecem o valor das bênçãos;
o Não louvam o Deus abençoador
o Não servem ao Deus que sustenta. (Lc 10: dos dez leprosos curados apenas o “samaritano” foi grato e voltou para servir)

· Deus não negocia as suas bênçãos, salvação, Sua presença;
· Simão prontamente se dispôs a servir a Jesus; “E, arrastando eles os barcos sobre a praia, deixando tudo, o seguiram” (11);
· Deus trabalha na “prioridade”. “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas”(Mt 6.33) {Ex: José; Abraão; Daniel}.
Conclusão: Você tem muitas necessidades, mas está disposto a servir a Deus com o que você tem?

2) QUANDO VOCÊ ESTÁ ABERTO PARA CRER EM MILAGRES
4 Quando acabou de falar, disse a Simão: Faze-te ao largo, e lançai as vossas redes para pescar. 5 Respondeu-lhe Simão: Mestre, havendo trabalhado toda a noite, nada apanhamos, mas sob a tua palavra lançarei as redes.
· Que tipo de fé você tem? Onde estão suas redes?
· {maná no deserto (Ex 16.20); bezerro de ouro (Ex 32.4); Tomé (Jo 20.25)};
· Deus nos chama a crer nas situações adversas; (Abraão (Gn 18); Gideão (Jz 7); Pedro (Mt 14);
· Simão prontamente se dispôs a re-lançar suas redes ao mar;
· Você quer agradar a Deus? Então creia. “Sem fé ninguém pode agradar a Deus, porque quem vai a ele precisa crer que ele existe e que recompensa os que procuram conhecê-lo melhor”. (Hb 11.5)
Conclusão: que tipo de fé você tem? Você está disposto a acreditar no sobrenatural?

3) QUANDO VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA COLHER
6 Isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompiam-se-lhes as redes. 7 Então, fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los. E foram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase irem a pique.”
· Você está preparado para o que tem pedido a Deus? (os ganhadores da mega-sena);
· Você deve esperar de Deus o que sua fé possibilita a receber; “não me dês nem a pobreza nem a riqueza; dá-me o pão que me for necessário; para não suceder que, estando eu farto, te negue e diga: Quem é o SENHOR? Ou que, empobrecido, venha a furtar e profane o nome de Deus.” (Pv 30.8-9)
· A imaturidade espiritual tem formado uma geração de crentes que não sabem o que querem!
· Ex: de despreparo {Israel no Egito}; Ex: de preparo {Abraão e Isaque} “porque sei em quem tenho crido e estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele Dia.”(2Tm 1.12);
· Simão prontamente se dispôs a colher os peixes, mas também a abandona-los para seguir a Jesus;
Conclusão: Se você está disposto a deixar Jesus por causa das bênçãos, Deus jamais te fará uma pessoa abençoada!

APLICAÇÃO: Todo ensino deste texto se resume em: “E, arrastando eles os barcos sobre a praia, deixando tudo, o seguiram” (vv 11).

terça-feira, 27 de maio de 2008

PG - ENTREGANDO OS FARDOS A JESUS


Texto Básico: Mt 11.28-30
Introdução


• Somos uma geração que sofre muitos males: fardo físico da luta diária, das tradições e imposições religiosas, sobrecarga financeira, da perseguição, vícios, do pecado encoberto, fardos dos outros, as preocupação futura, opressão demoníaca, etc.
• Nada nos atinge tanto quanto um problema familiar, dentro de nossa família;
• Um dos motivos de muitas pessoas desistirem é o fato de “caminharem sozinhas”

Is 53.4: “Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si.” O sacrifício de Cristo é suficiente para nossa salvação completa.

Este texto nos apresenta a proposta de Jesus para encontrarmos descanso:

1) VIR A JESUS CRISTO
“Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (28)
• Quando Jesus Cristo vem ao mundo seu único plano é nos salvar daquilo que nos destrói;
• Observe que o convite de Jesus é a um grupo específico de pessoas: “cansados e sobrecarregados”;
• “Bendito seja o Senhor que, dia a dia, leva o nosso fardo! Deus é a nossa salvação.” (Sl 68.19);
• Todo o sacrifício para nossa salvação Jesus já realizou na cruz. Agora você deve vir a Ele;
• deute: interjeição: vem!, venha agora! – creia na Minha palavra, no batismo, e na minha igreja;
• Jesus não está fazendo um convite momentâneo, mas duradouro aqui e na eternidade;
• Aqui no mundo seu convite implica no refrigério para a alma (Sl 23.1-3); “O SENHOR é o meu pastor; nada me faltará. Ele me faz repousar em pastos verdejantes. Leva-me para junto das águas de descanso; refrigera-me a alma”.
• Na eternidade seu convite implica na salvação eterna do fogo do inferno. Jo 5.24: “Em verdade, em verdade vos digo: quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida.”

2) DESENVOLVER RELACIONAMENTO ÍNTIMO COM JESUS CRISTO
“Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma.” (29)
• Jugo ou canga que é colocado sobre animal de carga;
• Tomar o jugo de Cristo implica em viver pela fé na palavra de Deus – é sua única exigência; Pv 30.5: “Toda palavra de Deus é pura; ele é escudo para os que nele confiam.”
• Aprender com Cristo implica em ACEITAR, ESTUDAR e OBEDECER as palavras de Cristo;
• Cristo veio ao mundo para nos mostrar novamente o caminho do Éden.
• Em Cristo encontramos descanso. O resultado do estarmos em Cristo é encontrar descanso para nossas almas. In God’s pasture we can wolk free.

3) VIVER NOS PROPÓSITOS DE DEUS
“Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.” (30)
• Para você viver nos propósitos de Deus é necessário se humilhar diante dele; “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós.“ (1Pe 5.6-7)
• Reconhecer que você é pecador, que seus planos falham e são fracos e que os planos de Deus são melhores para sua vida;
• Implica em reconhecer total dependência de Deus;
• Implica em deixar de lutar em vão, entregando sua vida a Jesus. “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais ele fará.” (Sl 37.5);
Deixe de lutar em vão – entregue seus fardos a Jesus.

sábado, 10 de maio de 2008

PG - A ESCOLHA DE CRISTO


Texto: Filipenses 2.7-8
Introdução:

· Todos nós temos o momento de escolhas na vida. Nossas escolhas serão determinadas pelo nosso coração. Houve um momento que Deus escolheu você (te criou, te amou, olhou para você), todavia, nem sempre escolhemos olhar para Deus – para o que Ele fez e sempre faz por nós. Cristo escolheu você, por isso Ele veio ao mundo, para te salvar, e sobre esta escolha quero falar a vocês.

ELE ESCOLHEU “O ESVASIAR DE SI”
a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens” (7).
Deus escolheu nos criar perfeitos (Gn 1.31: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom (bwj towb: amável)”; todavia, a humanidade escolheu pecar contra Deus. Isso significa que Deus nos deu a oportunidade de escolher entre obedecer sua vontade, ou desobedecer seus mandamentos. Desde Adão, o ser humano sempre escolheu aquilo que causaria dor, sofrimento e destruição. Mas, o amor de Deus por nós é tão grande, e o desejo de Deus em que nós vivamos juntos dEle tão maravilhoso que Ele enviou seu filho Jesus Cristo, para pagar um preço de sangue, através de Seu sacrifício na cruz, para que, por meio dele as pessoas que crerem em Seu nome e estabelecerem aliança com Ele por eio do Batismo, tenha a oportunidade de voltar à presença abençoadora de Deus “vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho” (Gl 4.4). Cristo, que abriu mão da igualdade com Deus ou da forma de Deus – para nos mostrar na prática como Ele nos ama; “Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos”, (Jo 15.13) e esta escolha de Cristo foi motivada pelo amor eterno de Deus por mim e por você.

ELE ESCOLHEU “A HUMILHAÇÃO”
a si mesmo se humilhou” (8)
Esta foi uma atitude passiva de Jesus – se entregou à humilhação. Esta humilhação se refere ao fato de Cristo descer de Sua glória para se tornar homem com todas as fraquezas e debilidade humanas, para sentir a nossa dor e para sofrer em nosso lugar; “era necessário que o Filho do Homem sofresse muitas coisas, fosse rejeitado pelos anciãos, pelos principais sacerdotes e pelos escribas, fosse morto e que, depois de três dias, ressuscitasse” (Mc 6.31). Cristo sabia de toda humilhação que passaria(Is 53.5-9) – mas Ele escolheu este caminho por nós, e sua humilhação não foi um acidente ou circunstância, mas uma opção dEle para que, crendo nele e estabelecendo aliança com ele por meio do batismo, vivêssemos na presença gloriosa e abençoadora do Pai.

ELE ESCOLHEU “A MORTE”
tornando-se obediente até à morte e morte de cruz.” (8)
A morte de cruz era o sinal de maior humilhação submetida a alguém. Neste tipo de morte, somente os piores bandidos eram mortos pelos soldados romanos e pelo clero romano daquela época. A morte de Cristo era o preço para pagar o pecado – sangue era exigido para apagar definitivamente os pecados daqueles que cressem no Nome de Cristo. Quando não havia possibilidade de nenhum de nós pagar este alto preço, porque todos soos pecadores – Cristo, totalmente sem pecado, veio pagar por nós; “E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.” (2Co 5.15). Este alto preço é o valor da nossa libertação, da nossa felicidade, da nossa salvação e da nossa esperança. Todavia a morte de Cristo não foi o fim, mas o começo de uma nova esperança, pois Ele não está morto, mas ressuscitou dando esperança aos crentes de que em breve voltará para que, eternamente, na Nova Terra possamos habitar com Ele, numa terra limpa de toda maldade, sem morte, enfermidades, dor, tristeza, aflição angústia, medo ou temor; uma terra de eterna felicidade, um eterno “hoje”. “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo. “(1Co 15.20-22).

Conclusão

· Um dia Cristo escolheu o negar a si mesmo, a humilhação e a morte por amor de você;
· Qual a sua escolha diante de tudo que Cristo fez por você um dia?
· Hoje é o dia de sua decisão – o que você escolhe? O mundo ou Cristo?